Outros Ouros Tolos

dichavando
Estamos em dois mil e dezessete e ainda tem gente criticando as gorduras e/ou as estrias da gente;
Estamos em dois mil e dezessete e ainda tem gente homofóbica, racista, dissimulada na cara dura, que aproveita a tecnologia para deturpar as informações no dia a dia;
A humanidade percorreu, até a data de hoje, mais de 735.900 passos e ainda não aprendeu nada do que realmente importa e eis a prova de fato: não evoluímos em uníssono!
Ainda rolam guerras de poder, à fim da igualdade se foder; o capEtalismo, em alta, carrega as mídias de poder; o desmatamento, a criminalidade, o tráfico, a opressão, as milícias… Políticos visam o ter e não o ser, políticos apaixonados por números. Não é demagogia os gritos a Temer!
Artistas que antes contribuíram pra nossa evolução (que na visão política é utópica) atualmente sofrem com o preconceito com a idade e criatividade;
Os pedestres, em sua maioria, se estranham fora do rebanho e quando se esbarram, se medem sem se ajudar;
Falta TEMPERANÇA, falta BENEVOLÊNCIA;
O motorista, que leva inúmeras vidas, diariamente, não recebe o digitalizado e popular ‘bom dia’ da maioria embarcada sob sua responsabilidade. Mal o olham na cara! Continue lendo “Outros Ouros Tolos”

Abril, meu amor!

Sonhei com o amor e realizei você. És minha realidade incidida nos instantes da felicidade. Muito seu me encanta: sua história de vida, seu nome, suas danças…
Eu tenho a liberdade e quero a responsabilidade de viabilizar o melhor pra nós, no nosso estilo. O melhor para nós e consequentemente a quem nos rodear. Que sejam bons e do bem! Os momentos ruins, porém, eu sei que virão, então saiba, bebê: Continue lendo “Abril, meu amor!”

Glória Capital

Hoje eu acordei refém do preconceito.
A minha atitude de amar alguém do mesmo sexo, e não temer isso, parece enclausurar a mente dos infelizes.
Penso: quem realmente é feliz não bloqueia o ato de amar o próximo, seja como e quem for.
Nas ruas, as pessoas sacaram por bem e por mal que o amor não tem fronteiras, e ele segue firme e forte e corajoso.
Já nos lares o amor é limitado; Continue lendo “Glória Capital”